• THE NORTH SHORE BLOG - UM DIA HISTÓRICO NO #BILLABONGPIPEMASTERS

Foram 5 longos lay days após o Round 2 do #BillabongPipeMasters. Haviam dúvidas sobre ter parado o campeonato naquele dia. Muitas dúvidas sobre como seria o cenário da corrida pelo título mundial. E muito freesurf nesse meio tempo!

Ontem acordamos cedo como fazemos todos os dias aqui no North Shore. 6-8 pés quebravam com direção Oeste-Noroeste oferecendo bons tubos em Backdoor e fortes cilindros em Pipeline. O crowd chegou cedo a praia, os brazucas coloriam a areia com o nosso verde e amarelo. A festa estava armada!

Logo na primeira bateria, John John Florence mostrou que queria o caneco da etapa, impressionou a todos com seus tubos e um aéreo insano. Tudo o que se falava depois daquela bateria era um possível encontro do John John com Medina nas Semis ou um repeteco da final do ano passado com ele e Kelly Slater na água.

Mas a corrida pelo título mundial aconteceu mesmo na 6ª bateria do Round 3, quando o líder do Vans Triple Crown Dusty Payne encontrou-se com o líder do ranking mundial Gabriel Medina. Por 30 minutos Dusty Payne teve Kelly Slater como seu maior torcedor, com uma possível vitória do Dusty, Kelly continuaria na corrida pelo título mundial. D. Payne bem que tentou, tirou um 7.17 logo no início da bateria mas Medina não deixou barato, somando 17.66 e de quebra obtendo a maior média do Round 3. Esse foi o adeus do Kelly Slater na corrida de gigantes.

Algumas bateria depois entrava Mick Fanning na água, focado e calculista, o australiano precisava vencer sua bateria para que o sonho pelo 4º título mundial pudesse acontecer. Faltando 3:40 no relógio, Mick precisava de um 5.77 para avançar. Foi aí que Backdoor apareceu novamente, Mick dropou nessa onda de 6 pés e saiu limpo do tubo, tirando um 8.17 e se garantindo na próxima fase.

Em uma bateria devagar no Round 4 com o compatriota Filipe Toledo e o aussie Josh Kerr, Medina encontrou uma boa onda que lhe garantiu nas Quartas. Com este avanço, Mick encontrou-se em uma posição complicada, vencer o Billabong Pipe Masters e torcer para Gabriel perder nas Quartas ou Semis. Ele não estava pronto para entregar o título assim para Gabe, mas a energia dos brasileiros na praia parecia aumentar a cada bateria e lutar junto com Gabriel.

Mick perdeu sua bateria do Round 4 sendo obrigado a competir no Round 5 contra um inspirado Alejo Muniz. O mesmo Alejo que tinha eliminado mais cedo ninguém menos que a lenda e também concorrente ao título mundial Kelly Slater. Fanning sabia que Alejo ia fazer de tudo para ajudar o compatriota a conseguir o caneco para o Brasil pela primeira vez na história...e assim o fez. Com Medina no canal esperando para começar a sua bateria, Alejo encontrou um tubo em Backdoor, tirou 5.5 e garantiu o merecido título mundial para Gabriel Medina.

Centenas de brasileiros ficaram na beira do mar, Charlie, pai do Medina, se jogou na água para comemorar o título do seu filho. Por alguns minutos o campeonato "parou" para celebrar junto com Gabriel, sorrisos e lágrimas de alegria por todos os cantos, todos sentiam junto com os brasileiros a alegria de ter o 1º brasileiro campeão mundial. Por alguns minutos Medina pintou o mundo todo de verde e amarelo.

Mas o dia não tinha acabado, e por mais que Gabriel estava fora da água junto com a multidão e depois dando entrevista para a ASP, a sua bateria contra Filipe Toledo estava acontecendo. Faltando 15 minutos para o término, Gabriel voltou para água e conseguiu vencer Filipinho.

O título mundial tinha um campeão, mas o título do Billabong Pipe Masters e do Vans Triple Crown ainda tinham que ser definidos.

Na final entraram na água Julian Wilson e Gabriel Medina, apesar do vento, Pipeline voltou a quebrar. Alguns minutos depois do som da buzina, Julian foi para Backdoor e garantiu um 9.93. Mas o show do Medina ainda não tinha acabado. Backdoor apareceu de novo e dessa vez quem dropou foi Gabe, pegou um longo tubo e garantiu um 10 perfeito.
A vibe na praia estava impressionante, gritos para Medina era tudo o que se ouvia na areia.
Faltando apenas 2 minutos para o término, Julian remou para Backdoor novamente, pegou um tubaço e já saiu do mar, na sequência da série, Medina remou para Pipe, sumiu dentro do tubo e consegue sair levando a praia a loucura.
Com os surfistas já na areia, Medina sendo carregado pelos brasileiros e Wilson na beira da praia, todos aguardavam ansiosamente pelo resultado que definiria o campeão do Billabong Pipe Masters. Primeira nota anunciada foi a do Julian Wilson - um 9.7. Logo depois começaram a sair as notas do Gabriel, sua nota final, um 9.2, não foi o suficiente e dessa forma Julian Wilson consagrou-se o campeão do Billabong Pipe Masters e do Vans Triple Crown.

Foi um dia que entrou na história do surfe mundial e que será lembrado para sempre. Foi o dia que um garoto de 20 anos conseguiu pela primeira vez o título de campeão do mundo para o Brasil. Foi o dia que o Havaí ficou verde e amarelo por alguns minutos. Foi o dia que, em pleno ano de Copa do Mundo, o Brasil mostrou que não é apenas o país do futebol mas também o país do surfe. #FoiMedina