• Filipinho, Mineiro e Julian de volta à briga pelo mundial

Filipe Toledo avança ao terceiro round e está mais vivo do que nunca na corrida pelo título mundial. Foto: WSL / Masurel.

Todas as baterias da repescagem foram realizadas no Billabong Pipe Masters 2015, válido como última etapa do Championship Tour (CT) da World Surf League (WSL) e como terceira e última parada da Tríplice Coroa Havaiana. A bancada de Pipeline ofereceu ondas de até dois metros e bons tubos durante todo o dia de evento.

Os três candidatos ao título que haviam caído para a repescagem venceram suas baterias, recuperaram suas posições e estão de volta à batalha. São eles Filipe Toledo, Adriano de Souza e Julian Wilson.

O dia começou com o brasileiro Filipe Toledo encontrando seu ritmo e eliminando o havaiano Bruce Irons, vencedor do evento em 2001, fato que o deixa mais vivo do que nunca na corrida pelo título.

"Eu estava nervoso ontem contra o Jamie O'Brien e o Kolohe Andino, porque as ondas estavam muito difíceis e demoradas. A direção do swell não era a mais perfeita para Pipe", contou Filipe Toledo. "Tive sorte de conseguir passar hoje, pois ontem fiquei pensando muito em como seria uma bateria contra o Bruce Irons. Eu sabia que teria que dar o meu melhor competindo contra um dos melhores surfistas de Pipe e foi um prazer ter a oportunidade de competir contra ele. Estou amarradão por ter sido respeitado pelo Bruce. Eu remei até ele depois da bateria e trocamos uma ideia bem legal, isto foi incrível. Quando eu era criança adorava assistir ele surfando em Backdoor e em todos outros lugares".

Melhores momentos do segundo round:


Adriano de Souza derrotou o fenômeno australiano de 17 anos, Jack Robinson, para avançar ao terceiro round. O jovem garoto teve a chance de barrar as possibilidades de título mundial de Adriano de Souza em sua última onda surfada nos instantes finais, mas acabou derrotado por uma pequena diferença de pontos.

"Eu estou hospedado na casa do Jamie O'Brien, que já abre sua casa pra mim há alguns anos e não tenho palavras para agradecê-lo", revelou Adriano de Souza. "Ele entende o quanto eu quero vencer e o quanto isto é importante para minha carreira. Realmente espero poder vencer este título. Não tenho um grande patrocinador como a Billabong ou a Quiksilver que têm casa aqui, apenas tenho uma marca nacional, então eu cheguei no Jamie e disse 'você é o cara, se eu não puder me hospedar vou dormir na sua porta' (risos), porque eu quero surfar aqui todos os dias. Eu tenho muito respeito pelos locais no outside e quero passar a maior parte do tempo que eu puder dentro da água".

Adriano de Souza também segue firme em busca do seu primeiro título mundial. Foto: WSL / Cestari.

Jamie O'Brien irá competir contra Mick Fanning no terceiro round e caso vença pode causar grande estrago ao líder do ranking na corrida pelo título.

"Até o início deste round tudo parecia bem confortável para Mick Fanning, mas agora parece que toda pressão está sobre ele", analisou Kelly Slater. "Ele vai cair contra o Jamie O'Brien no próximo round, um cara que muitas pessoas consideram o melhor surfista deste pico, tanto de frontside, como de backside. Provavelmente ele já pegou mais ondas aqui do que qualquer outra pessoa nos últimos dez anos. Mick terá um duro trabalho pela frente, mas também não é por acaso que ele é tricampeão mundial".

O australiano Julian Wilson também manteve suas esperanças de título mundial vivas, ao derrotar o líder da Tríplice Coroa Havaiana, Wade Carmichael.

"Você tem que acordar todas as manhãs e checar o mar", disse Julian Wilson. "Todo mundo faz suas previsões, mas até você acordar e ver como as condições do mar realmente estão, você nunca saberá. Ontem eu pensei que o mar estaria muito bom, mas então o vento soprou a noite toda e acabou um pouco com as expectativas, deixando as ondas piores do que o esperado pras baterias de ontem. Hoje já foi um pouco melhor, com ondas mais divertidas e mais oportunidades".

Quando a competição recomeçar, logo no primeiro confronto do dia, teremos o campeão mundial Gabriel Medina contra o sul-africano Jordy Smith.

A próxima chamada oficial acontece às 15 horas (horário de Brasília) deste sábado, para a organização do evento avaliar as condições do mar e decidir se o evento principal vai ou não pra água.

O Billabong Pipe Masters em Memória de Andy Irons é transmitido ao vivo em: WorldSurfLeague.com.

Apesar de não estar na briga pelo título, Kelly Slater exibe sua sintonia fora do comum com Backdoor. Foto: WSL / Masurel.

Round 2

1: Filipe Toledo (BRA) 14.23 def. Bruce Irons (HAW) 5.07
2: Taj Burrow (AUS) 13.77 def. Brett Simpson (USA) 11.20
3: Adriano De Souza (BRA) 13.10 def. Jack Robinson (AUS) 12.50
4: Adam Melling (AUS) 15.50 def. Matt Wilkinson (AUS) 4.46
5: Julian Wilson (AUS) 12.83 def. Wade Carmichael (AUS) 6.00
6: Adrian Buchan (AUS) 13.17 def. Miguel Pupo (BRA) 12.50
7: Kelly Slater (USA) 15.57 def. Dusty Payne (HAW) 14.93
8: Sebastian Zietz (HAW) 10.50 def. Jadson Andre (BRA) 6.74
9: Glenn Hall (IRL) 8.60 def. Nat Young (USA) 7.80
10: Keanu Asing (HAW) 10.33 def. Kolohe Andino (USA) 4.90
11: Joel Parkinson (AUS) 13.93 def. Ricardo Christie (NZL) 5.43
12: Jordy Smith (ZAF) 16.00 def. Wiggolly Dantas (BRA) 4.87

Round 3

1: Gabriel Medina (BRA) vs. Jordy Smith (ZAF)
2: Bede Durbidge (AUS) vs. Keanu Asing (HAW)
3: Italo Ferreira (BRA) vs. C.J. Hobgood (USA)
4: Kelly Slater (USA) vs. Michel Bourez (PYF)
5: Mick Fanning (AUS) vs. Jamie O’Brien (HAW)
6: John John Florence (HAW) vs. Taj Burrow (AUS)
7: Filipe Toledo (BRA) vs. Mason Ho (HAW)
8: Joel Parkinson (AUS) vs. Kai Otton (AUS)
9: Jeremy Flores (FRA) vs. Sebastian Zeitz (HAW)
10: Julian Wilson (AUS) vs. Adam Melling (AUS)
11: Josh Kerr (AUS) vs. Adrian Buchan (AUS)
12: Adriano De Souza (BRA) vs. Glenn Hall (IRL)

Joel Parkinson recupera posição e avança ao terceiro round. Foto: WSL / Kirstin.