• Repescagem concluída no Billabong Pro Tahiti

CJ Hobgood é o dono da maior somatória do Billabong Pro Tahiti até o momento. Foto: WSL / Cestari.


Highlights do Segundo Dia do Billabong Pro Tahiti 2015:

O Billabong Pro Tahiti 2015 voltou pra água pelo segundo dia consecutivo de muita ação e foram finalizadas todas as baterias pendentes do primeiro round, bem como o segundo round inteiro. A prova é válida como sétima etapa do Circuito Mundial de Surfe, o Samsung Galaxy World Surf League (WSL) Championship Tour (CT).

O segundo round começou com vitória do líder do ranking Adriano de Souza (BRA), que recuperou-se da derrota no round inicial e venceu o trialista local Taumata Puhetini (TAH). A forte presença do brasileiro na bateria lhe rendeu uma soma de 16.26 pontos, para deixar seu adversário precisando de nota 9.39. No terceiro round, Mineirinho enfrentará outro forte adversário, o seu compatriota e também trialista Bruno Santos, que foi o vencedor do Billabong Pro Tahiti em 2008.

"Este foi um evento muito difícil pra mim no ano passado", confessou Adriano de Souza. "Nos últimos quatro anos tenho competido contra os wildcards por aqui e não tenho ido muito bem. Venho trabalhando para melhorar isto a cada ano. Tenho chegado cedo e permanecido o máximo que posso, além de assitir tudo. Ainda preciso trabalhar muito, mas estou realmente orgulhoso por ter vencido uma bateria contra um local do Tahiti. A próxima será contra um amigo, o Bruno Santos".

Atual campeão mundial, Gabriel Medina segue vivo na defesa pelo título do Billabong Pro Tahiti. Foto: WSL / Cestari.

O atual campeão mundial Gabriel Medina (BRA) também encontrou seu ritmo e dominou sua bateria no segundo round contra Ricardo Christie (NZL). O neozelandês arrancou a primeira boa nota da bateria, mas o brasileiro não perdoou e somou notas 8.33 e 9.17, para vencer a bateria com um total de 17.50 pontos. Christie, que machucou suas costas durante uma sessão de free surf no último sábado, não conseguiu acompanhar o ritmo e foi eliminado. Na próxima rodada Medina enfrentará John John Florence (HAW).

"A bateria foi divertida e peguei várias ondas", disse Medina. "Desde que cheguei aqui ainda não tinha entubado, então fiquei bem feliz que os tubos apareceram na minha bateria. O ano passado foi o ano passado, estou ano estou focado em fazer a coisa certa bateria por bateria e tentar passar o máximo delas que eu conseguir. Estou empolgado para o restante do campeonato, mas sei que minha próxima bateria vai ser difícil. Meu sonho era ser campeão mundial e ele já se tornou realidade. Estou ano não estou sentindo pressão nenhuma e só quero surfar".

No início do dia, Medina foi despachado para a repescagem pelo estreante Ítalo Ferreira (BRA), na décima bateria do primeiro round, em uma batalha emocionante de goofy footers, vencida de forma bem apertada por Ítalo, que garantiu sua passagem direta ao terceiro round.

"Estou amarradão por ter vencido minha primeira bateria do evento do Gabriel Medina, ele é um ótimo competidor", elogiou Ítalo Ferreira. "No começo da bateria peguei uma onda mais para o inside e fui direto para o reef. Então apenas tentei manter o foco, pois sabia que tinha que voltar ao lineup. Esta é a minha primeira vez aqui. As ondas estão um pouco devagares hoje, mas bem divertidas".

Adriano de Souza (foto) recupera-se na repescagem e elimina o local Taumata Puhetini, vencedor da triagem. Foto: WSL / Robertson.

Uma bateria com notas altas foi a terceira da repescagem, entre CJ Hobgood (EUA) e Nat Young (EUA). Ambos conseguiram notas na casa do critério excelente, acima dos 8 pontos e Young ainda tinha uma boa nota de backup (7.97). O cenário mudou quando Hobgood conseguiu completar um drop atrasado que impressionou os juízes e lhe rendeu nota 9.80, bem como a vitória.

"Estou amarradão, pois tive diversas oportunidades durante a bateria", disse CJ Hobgood. "As ondas apareceram e nós dois conseguimos pegar a maior parte delas. Foi um duelo homem a homem realmente divertido. Quando alguém me pergunta sobre o que eu mais irei sentir falta do Tour, digo que é do combate homem a homem. Também sentirei saudades de todos os caras que viajaram comigo ao redor do mundo por muitos anos".

Outro brasileiro que mostrou boa forma foi Jadson André, que na repescagem eliminou o local Michel Bourez (TAH). O potiguar demonstrou muita energia e comprometimento, mantendo-se na ativa durante toda bateria, até encontrar as duas melhores ondas da bateria e conquistar duas notas na casa dos 8 pontos para vencer."Tive um bateria muito divertida e é sempre ótimo poder surfar Teahupoo com apenas mais um cara lá fora", disse Jadson André. "Todo mundo sabe que eu amo este lugar. Michel Bourez é um local, então eu sabia que seria difícil batê-lo. Tentei não colocar muita pressão sobre mim mesmo e apenas pensei em ir lá e fazer o que eu tinha que fazer. Eu estava instigado".

Jadson André esbanja energia em sua apresentação. Foto: WSL / Robertson.

O havaiano John John Florence retornou às competições depois de sua ausência nas duas últimas etapas por conta de uma lesão no tornozelo. Ainda pelo primeiro round, ele construiu seu placar progressivamente com tubos profundos no decorrer da bateria, além de drops atrasados muito técnicos e potentes carves de backside. Ele consquistou notas 9.03 e 8.93, para somar 17.96 pontos e mostrar que voltou em forma, avançando diretamente ao terceiro round e mandando para a repescagem seu compatriota Fred Patacchia (HAW) e Bede Durbidge (AUS).

"Realmente estão vindo muitas ondas bem divertidas", disse John John Florence. "Me diverti bastante na bateria. Estou muito empolgado para vestir a lycra novamente. Quando me machuquei fiquei super chateado, mas ao mesmo tempo pensei que seria bom fazer uma pausa. Quando rolou a etapa de Fiji eu não conseguia nem assistir, de tão chateado que estava. Sinto que meu tornozelo está ótimo e esperei o tempo necessário para ele ficar realmente curado. Estou muito empolgado por estar de volta a um evento e estar surfando novamente".

Quando a competição recomeçar, na primeira bateria do terceiro round, o brasileiro Filipe Toledo enfrentará o norte-americano Brett Simpson.Uma nova chamada acontece nesta segunda-feira (17/08) às 14:30 (horário de Brasília). Para acompanhar ao vivo, clique aqui.

John John Florence está de volta e 100% recuperado de sua lesão no tornozelo. Foto: WSL / Robertson.

Terceira Fase do Billabong Pro Tahiti 2015

1: Filipe Toledo (BRA) vs. Brett Simpson (USA)
2: Bede Durbidge (AUS) vs. Kai Otton (AUS)
3: Owen Wright (AUS) vs. Dusty Payne (HAW)
4: Italo Ferreira (BRA) vs. Jadson Andre (BRA)
5: John John Florence (HAW) vs. Gabriel Medina (HAW)
6: Adriano de Souza (BRA) vs. Bruno Santos (BRA)
7: Mick Fanning (AUS) vs. Aritz Aranburu (ESP)
8: Wiggolly Dantas (BRA) vs. Matt Wilkinson (AUS)
9: Josh Kerr (AUS) vs. Adrian Buchan (AUS)
10: Kelly Slater (USA) vs. Sebastian Zietz (HAW)
11: Jeremy Flores (FRA) vs. Joel Parkinson (AUS)
12: Julian Wilson (AUS) vs. C.J. Hobgood (USA)

Repescagem do Billabong Pro Tahiti 2015

1: Adriano de Souza (BRA) 16.26 def. Taumata Puhetini (PYF) 8.44
2: Filipe Toledo (BRA) 8.57 def. Garrett Parkes (AUS) 8.23
3: C.J. Hobgood (USA) 18.13 def. Nat Young (USA) 16.66
4: Brett Simpson (USA) 16.50 def. Taj Burrow (AUS) 10.23
5: Bede Durbidge (AUS) 14.36 def. Glenn Hall (IRL) 9.44
6: Wiggolly Dantas (BRA) 10.83 def. Kolohe Andino (USA) 4.47
7: Gabriel Medina (BRA) 17.67 def. Ricardo Christie (NZL) 12.44
8: Matt Wilkinson (AUS) 12.50 def. Fredrick Patacchia (HAW) 10.96
9: Kai Otton (AUS) 14.66 def. Miguel Pupo (BRA) 5.54
10: Jadson Andre (BRA) 17.10 def. Michel Bourez (PYF) 10.60
11: Adrian Buchan (AUS) 16.40 def. Adam Melling (AUS) 15.27
12: Sebastian Zietz (HAW) 14.60 def. Keanu Asing (HAW) 14.07

Primeira Fase do Billabong Pro Tahiti 2015

1: Kelly Slater (USA) 15.10, Jadson Andre (BRA) 8.23, Brett Simpson (USA) 4.70
2: Owen Wright (AUS) 11.67, Adrian Buchan (AUS) 11.50, C.J. Hobgood (USA) 9.67
3: Aritz Aranburu (ESP) 13.10, Keanu Asing (HAW) 7.16, Filipe Toledo (BRA) 5.37
4: Julian Wilson (AUS) 10.66, Sebastian Zietz (HAW) 9.00, Garrett Parkes (AUS) 1.30
5: Mick Fanning (AUS) 12.17, Adam Melling (AUS) 6.26, Taumata Puhetini (PYF) 1.33
6: Bruno Santos (BRA) 8.67, Adriano de Souza (BRA) 5.30, Michel Bourez (PYF) 2.44
7: Dusty Payne (HAW) 10.00, Nat Young (USA) 5.14, Kai Otton (AUS) 1.30
8: Joel Parkinson (AUS) 10.83, Taj Burrow (AUS) 4.77, Glenn Hall (IRL) 2.96
9: Josh Kerr (AUS) 17.17, Kolohe Andino (USA) 12.80, Matt Wilkinson (AUS) 9.00
10: Italo Ferreira (BRA) 14.43, Gabriel Medina (BRA) 14.47, Ricardo Christie (NZL) 5.73
11: John John Florence (HAW) 17.96, Fredrick Patacchia (HAW) 13.83, Bede Durbidge (AUS)11.43
12: Jeremy Flores (FRA) 14.90, Wiggolly Dantas (BRA) 12.34, Miguel Pupo (BRA) 12.27