• DO SAFARI PARA O MAR


Como surfistas, o oceano faz parte das nossas vidas. Mas há quem nunca tenha visto as ondas quebrarem, nunca sentiu a areia entre os dedos ou nunca experimentou a sensação de flutuar na água. Pudemos levar Legeso e Kagiso, de Ndebele Village, para o mar pela primeira vez. Foi uma viagem muito especial para todos que estiveram lá e nunca vamos esquecer.

A nossa surfista Gina Smith compartilha a história...

Demorou mais para sairmos do aeroporto de Lanseria do que voar de lá para Durban. Chegamos ao destino, finalmente, em uma hora e quarenta minutos e entramos grandes áreas abertas, muitas árvores e pequenas cidades caracterizadas pela fragilidade. Seguimos pela estrada para chegar à vila. Quando saí do corri, me encontrei rodeada por cabras. Embora os moradores de lá façam o melhor para manter a vila organizada, o local parece um pouco "cansado". Uma parede quebrada aqui e ali e camadas de poeira parecia estar por toda a parte, inclusive no ar. No entanto, há uma beleza inegável naquele lugar, com uma simplicidade selvagem e terras inexploradas.

O sol nos alcançou ao mesmo tempo em que as pessoas começaram a sair de suas casas. A vila estava vazia, com os homens no trabalho e as crianças na escola. Então, foram praticamente só mulheres que nos receberam, algumas delas com bebês fofos pendurados em seus braços. Todos foram extremamente amigáveis; fiquei surpresa ao ver que a maioria sabia falar inglês. Foram apresentadas às duas garotas que viajariam com a gente: Kagiso, 15 anos, e Legeso, 16. As duas estavam vestidas com suas roupas especiais e estavam muito empolgadas com o encontro. Foi uma conversa rápida antes de entrarmos em uma casa simples, onde algumas mulheres tiraram nossas roupas e nos vestiram com peças típicas. Depois disso, declararam que estávamos prontas para aprender algumas danças e músicas deles.

Depois, nos levaram para pintar em uma casa. Foi muito agradável, mas logo nos escondemos do sol nas sombras das árvores com Kagiso, Legeso e algumas mulheres idosas. Foi muito bom ouvir delas o quanto o apoio da Billabong mudou e ajudou a comunidade.

Eu destaco um momento: quando um grupo de crianças voltou da escola. Nunca na minha vida eu vi tanta criança bonita em um único lugar. Elas não sabiam falar inglês, mas foi muito legal me comunicar com elas, cheias de brilho nos olhos e risadas que disputavam minha atenção.

O aeroporto, por si só, já era algo totalmente diferente para as meninas: alarmes, botões, escadas, tecnologia. Elas nunca tinham pisado num aeroporto antes e estavam prestes a embarcarem em seu primeiro voo em meio a uma tempestade.

Nos dias que se seguiram, muitas coisas aconteceram. No primeiro dia levamos as meninas para pegarem algumas peças da Billabong. Foi emocionante, pra mim, ver a Legeso entrar na loja cobrindo uma pequena fenda em sua saia e sair feliz com seu novo look Billabong. Depois disso, fomos correr de kart, comemos pizza e visitamos um simulador 3D. Fomos nadar para descansar e ver as estrelas. Sentei sozinha com Kagiso e Legeso por um tempo e pude conhecê-las melhor.

Cada uma das duas é fantástica de um jeito muito próprio. Legeso é o símbolo da elegância africana. Linda, era sempre muito bom vê-la abrindo um sorriso gigante. Kagiso é muito mais desencanada, preocupada apenas em ser jovens e livre. Seu contexto a ensinou a ser atenciosa e independente. Conversamos sobre paixões e sonhos. Legeso quer ser médica ou cantora. Ela dividiu comigo seu desejo de ajudar as pessoas. Seu coração é de ouro e sua voz, gostosa de ouvir. Kagiso quer ser jornalista. Como eu amo escrever, pude me aproximar mais de Kagiso. Ela me contou que ama escrever coisas que podem ensinar algo às pessoas, que ama escrever sobre amor e respeito.

As meninas da Billabong aproveitaram para surfar e fazer algumas sessões de fotos entre as atividades diárias. No segundo dia, enchemos o carro de biquinis e meninas e fomos para a marina de uShaka. Eu estava preocupada com Kagiso e Legeso, que não tinham intimidade alguma com o mar. Mas meu medo desapareceu muito rápido e deu lugar à admiração, porque elas superaram tudo.

Todas nós estávamos tendo momentos incríveis, mas estávamos exaustas no último dia, então todo mundo concordou em passar o dia nadando, surfando e relaxando. As garotas estavam nervosas. Kagiso e Legeso subiram nas pranchas e remaram enquanto ajudávamos elas a manterem o equilíbrio. Foi maravilhoso vê-las se divertindo.

Legeso e Kagiso ganharam ainda mais vida na água. Eu jamais imaginaria que, nas águas do desconhecido, elas encontrariam paz. O rosto delas estava constantemente alegre, com um sorriso, quando estavam na água - seja piscina, mar ou piscina de ondas. A viagem foi especial.

Conhecer meninas tão incríveis e mostrar a elas tantas coisas legais foi uma experiência tão boa, que só tenho a agradecer à Billabong. Elas também me ensinaram muitas coisas. Superaram mais medos em uma viagem do que muita gente teria feito na vida toda! Foi demais vê-las aproveitando a experiência.

Visite o blog Tanika Hoffman's para mais.