• Fortes emoções marcam terceira fase do Billabong Pro Tahiti

Gabriel Medina (foto) dá show em Teahupoo e vence bateria emocionante em cima de John John Florence. Foto: WSL / Robertson.


Highlights do Terceiro Round do Billabong Pro Tahiti 2015:

Um dia com altas emoções e batalhas épicas marcou o Billabong Pro Tahiti 2015, prova válida como sétima etapa do Circuito Mundial de Surfe, o Samsung Galaxy World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). As oito primeiras baterias do terceiro round foram pra água em ondas divertidas, que quebraram entre 3 e 5 pés em Teahupoo, até a prova ser paralisada após a oitava bateria, com a chegada da maré cheia, que tornou as ondas inconsistentes.

O duelo mais marcante do dia aconteceu na quinta bateria, entre o atual campeão mundial e defensor do título da etapa Gabriel Medina (BRA) e o fenômeno havaiano John John Florence. Medina começou com a vantagem nos tubos e parecia confortável logo no início da bateria. Em sua quarta onda ele já tinha nota 9.07.

Florence dava a impressão de estar fora de ritmo, até encontrar um tubo limpo e finalizar a onda com um belo snap, para conquistar 9.57 e a liderança. Na sequência ainda encontrou mais um bom tubo, para acumular mais uma nota na casa dos 9 pontos. Medina respondeu com mais dois tubos completos e quando precisava de 9.58 para virar, conseguiu um 9.27 e depois um 9.73, para reassumir a liderança, deixar o havaiano precisando de 9.44 e eliminá-lo da prova.

"Eu estava realmente empolgado antes da bateria e um pouco assustado também", disse Medina. "John John Florence é um dos melhores aqui, além de ser meu surfista favorito. Foi uma boa batalha e nós dois conseguimos alguns noves. Estou amarradão por ter encontrado os tubos. As ondas estavam incríveis e foi ótimo vencer mais uma bateria. Eu sabia que seria uma bateria difícil, embora meu pai tenha me dito para eu não me preocupar com pontuações altas, apenas para focar e continuar fazendo o que eu vinha fazendo. É bom estar vencendo baterias novamente depois de perder várias no início do ano. Eu amo esta onda e estou querendo um bom resultado aqui".

Apesar da excelente atuação, John John Florence (foto) cai diante de Medina no terceiro round. Foto: WSL / Robertson.

"Foi uma bateria muito divertida e uma batalha onda a onda", disse John John Florence. "Eu continuo tendo essas baterias em que tiro a melhor nota, mas não venço na somatória ao final, principalmente aqui no Tahiti. Ainda assim continuo me sentindo confiante, pois fiz o melhor que pude. Sei que encontrarei meu melhor caminho em breve e ficarei empolgado quando isto acontecer".

O atual líder do ranking Adriano de Souza (BRA) foi derrotado pelo wildcard Bruno Santos (BRA), vencedor do Billabgon Pro Tahiti em 2008, em um emocionante confronto brasileiro. Mineirinho buscava um bom resultdo nesta etapa para consolidar sua liderança, mas não conseguiu uma segunda boa onda para superar os 16.20 pontos de Bruninho. A eliminação precoce de Adriano de Souza deixa a porta aberta para os próximos surfistas do ranking buscarem a liderança."Eu estava realmente empolgado e a bateria foi incrível", disse Bruno Santos.

"Estou muito feliz agora com a vitória, mas triste ao mesmo tempo, porque o Adriano é um grande amigo e realmente quero vê-lo vencendo o título mundial ao final do ano. Eu quero ir bem aqui e ainda avançar mais algumas baterias, então é bom já estar no quarto round, pois tenho chances de pular direto para as quartas de final se eu vencer minha bateria. Estou ansioso para fazer o meu melhor nas melhores condições possíveis".

Bruno Santos mostra porque foi o vencedor da etapa em 2008 e elimina o líder do ranking. Foto: WSL / Cestari.

O wildcard e ex-competidor do CT Aritz Aranburu (ESP) derroubou o tricampeão mundial Mick Fanning em uma bateria escassa de ondas, a sétima do terceiro round. O espanhol começou bem seu trabalho logo no início da bateria e somou 15.17 pontos, enquanto Fanning conseguiu um 6.67 e passou o restante da bateria esperando por uma boa onda. Um bom resultado nesta etapa teria dado a Fanning a oportunidade de assumir a liderança do ranking depois da queda de Adriano de Souza, mas não foi o que aconteceu.

"Eu tive sorte suficiente para pegar aquela onda boa logo no início da bateria", disse Aranburu. "Tudo correu bem para mim por causa das duas ondas que tive no início, porque depois não veio mais nada com potencial de pontuação. Tendo o Mick Fanning como adversário, eu sabia que qualquer erro poderia me custar muito caro, então apenas tentei jogar de forma inteligente e tudo correu bem. Estou feliz por isto! Poder participar deste campeonato é uma benção e estou apenas tentando vencer bateria por bateria, além de me divertir o máximo que puder".

Aritz Aranburu (foto) derruba o tricampeão mundial Mick Fanning. Foto: WSL / Cestari.

Depois de três tentativas e três quedas, Filipe Toledo (BRA) acertou o pé na bateria inicial do terceiro round. Atualmente na quarta colocação do ranking, ele encontrou três tubos bons com saídas limpas, para construir um placar de 16.97 pontos e despachar o norte-americano Brett Simpson sem maiores dificuldades.

"Na minha última bateria, acho que eu não estava no lugar certo", disse Filipe Toledo. "Nesta bateria de agora eu tentei ficar posicionado mais 'deep' no começo, mas caí nas minhas primeiras ondas, então ajustei meu posicionamento. Finalmente senti que estou no Tahiti, quando o sol apareceu e peguei alguns tubos. Estou tentando só curtir as coisas, me divertir e não pensar em título mundial agora".

Filipe Toledo encontra seu posicionamento no Tahiti. Foto: WSL / Robertson.

Duas notas acima de 9 pontos de Owen Wright (AUS) lhe deram uma vitória decisiva sobre Dusty Payne (HAW) na terceira bateria do dia. O australiano, que atualmente é o quinto colocado do ranking, exibiu muita sincronia com o oceano, encontrou as melhores ondas e dominou o lineup.

"Todas as baterias que já tive contra Dusty Payne foram difíceis", disse Owen Wright. "Sinto muito por ele, mas estou amarradão por ter ido bem nos primeiros rounds. Do ano passado pra cá, definitivamente aprendi muito sobre este pico, por ter passado mais tempo por aqui. Foi muito bom ter vencido um evento neste ano e eu adoraria vencer outro. Estou trabalhando minha consistência e quero chegar ao topo do ranking".

Quando a competição recomeçar, ainda pelo terceiro round, o primeiro duelo acontece entre os australianos Josh Kerr e Adrian Buchan.Uma nova chamada acontece nesta terça-feira (18/08) às 14:30 (horário de Brasília). Para acompanhar ao vivo, clique aqui.

Owen Wright exibe sintonia total com os tubos de Teahupoo. Foto: WSL / Robertson.

Terceira Fase do Billabong Pro Tahiti 2015

1: Filipe Toledo (BRA) 16.97 def. Brett Simpson (USA) 12.50
2: Kai Otton (AUS) 13.13 def. Bede Durbidge (AUS) 12.00
3: Owen Wright (AUS) 18.23 def. Dusty Payne (HAW) 15.70
4: Italo Ferreira (BRA) 16.10 def. Jadson Andre (BRA) 9.83
5: Gabriel Medina (HAW) 19.00 def. John John Florence (HAW) 18.84
6: Bruno Santos (BRA) 16.20 def. Adriano de Souza (BRA) 13.70
7: Aritz Aranburu (ESP) 15.17 def. Mick Fanning (AUS) 6.67
8: Wiggolly Dantas (BRA) 16.83 def. Matt Wilkinson (AUS) 8.66
9: Josh Kerr (AUS) vs. Adrian Buchan (AUS)
10: Kelly Slater (USA) vs. Sebastian Zietz (HAW)
11: Jeremy Flores (FRA) vs. Joel Parkinson (AUS)
12: Julian Wilson (AUS) vs. C.J. Hobgood (USA)