• Condições perigosas no Billabong Pro Tahiti

CJ Hobgood arranca primeira nota 10 do Billabong Pro Tahiti. Foto: WSL / Robertson.


Highlights do Terceiro e Quarto Rounds do Billabong Pro Tahiti 2015:

Depois de diversos dias paralisado, o Billabong Pro Tahiti finalmente está de volta e os melhores surfistas do mundo se enfrentaram nas perigosas ondas de Teahupoo pelos rounds 3 e 4. A prova é válida como sétima etapa do Circuito Mundial de Surfe, o Samsung Galaxy World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). Quatro surfistas já avançaram direto às quartas de final e aguardam seus adversários, que serão definidos pelas batalhas do quinto round amanhã, no dia final do evento.

O quarto round começou com uma batalha intensa entre Filipe Toledo (BRA), Kai Otton (AUS) e Owen Wright (AUS), competindo por uma vaga para as quartas de final. Os três logo começaram a trabalhar e mantiveram-se ocupados o tempo todo com os tubos, mas foi Owen Wirght quem levou a melhor, principalmente depois de encontrar um tubo nota 8.17, que lhe garantiu a vitória.

"Nesta manhã ouvi o Jeremy Flores dizer que estas condições são realmente perigosas e tenho que concordar com ele", disse Owen Wright. "Está tão raso, que toda vez que você dropa uma onda dá pra ver a bancada de coral. Estou amarradão por ter vencido, pois é a primeira vez que venço esta bateria de três homens neste ano".

Owen Wright exibe técnica apurada em Teahupoo. Foto: WSL / Cestari.

Em um confronto 100% brasileiro, o trialista Bruno Santos (BRA), vencedor do evento em 2008, conseguiu uma nota 9 para abrir a segunda bateria do quarto round e colocar pressão em cima do defensor do título da etapa, Gabriel Medina (BRA). Medina respondeu com um dos melhores tubos do evento e passou muito perto da nota máxima com 9.97 pontos, que somados a um 7.67 de backup, garantiu sua passagem direta às quartas de final. O estreante Ítalo Ferreira não conseguiu o mesmo desempenho dos seus oponentes mais experientes e terá uma nova chance no quinto round.

"Eu sabia que seria uma bateria especialmente difícil contra o Bruno Santos", confessou Gabriel Medina. "O 9.97 fez eu me sentir muito bem, mas o Bruno quase me pegou no final. Estou muito feliz com a vitória e empolgado para o próximo round. Vencer aqui novamente representaria muito pra mim, porque eu amo esta onda. E ótimo estar no lineup e poder pegar esses tubos".

Gabriel Medina passa perto da nota máxima. Foto: WSL / Cestari.

Josh Kerr (AUS) conseguiu sua segunda vitória do dia na terceira bateria do quarto round e também garantiu passagem direta para as quartas de final. Ele levou a melhor na disputa contra Aritz Aranburu (ESP) e Wiggolly Dantas (BRA). No terceiro round já havia eliminado Adrian Buchan (AUS).

"Acho que todos nós havíamos esquecido o quanto esta onda é rasa", disse Josh Kerr. "Quando as melhores da série entram fica realmente muito raso. Minha prancha chegou a bater na bancada de coral e vi a mesma coisa acontecer com o Ace (Buchan) em sua última onda. Foi ótimo estar por aqui nos últimos dias, em um lugar tão bonito, enquanto esperávamos a prova recomeçar".

Josh Kerr ressalta os perigos da onda de Teahupoo. Foto: WSL / Cestari.

Na última bateria do dia tivemos o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater (EUA) vencendo CJ Hobgood (EUA) e Jeremy Flores (FRA). Depois um início lento, Flores foi o primeiro a conseguir uma nota relevante (7.83). Slater respondeu com um 6.83 para tomar a liderança, mas Flores logo a retomou. No último minuto Kelly conseguiu uma onda excelente, que valeu 9.77 e a passagem direta para as quartas de final.

"Ninguém queria pegar as primeiras ondas que vieram lá fora, pois estavam irregulares e cheias de espuma", explicou Kelly Slater. "Eu estava em dúvida se ia ou não na onda do 9.77 e acabei indo. A primeira bola de espuma me balançou e diminuiu minha velocidade. A segunda bola de espuma diminuiu minha velocidade mais ainda, mas eu consegui vencê-la. Estou amarradão por ter avançado direto às quartas e acho que amanhã teremos ondas ainda melhores".

Kelly Slater encontra 9.77 nos últimos instantes de sua bateria. Foto: WSL / Cestari.

CJ Hobgood (EUA) que ainda terá uma nova oportunidade no quinto round, conseguiu a primeira nota 10 do Billabong Pro Tahiti 2015 e ainda eliminou o terceiro colocado do ranking no terceiro round. Vencedor deste evento em 2004, CJ encontrou o caminho certo em um tubo aparentemente impossível, depois da bola de espuma, para ser premiado com a nota máxima.

"O lineup estava muito difícil por algum motivo", disse Hobgood. "Mesmo quando as ondas vinham, não dava pra saber se elas seriam boas. O swell ainda está chegando e ganhando força, então há muita água em movimento e você tem que dropar bem profundo na onda. Eu nem me importaria se tivesse perdido no terceiro round, pois encerraria minhas participações em Teahupoo com uma nota 10 em minha última onda".

Jeremy Flores volta às competições, mas ainda se recupera de lesão na cabeça e compete de capacete por recomendação médica. Foto: WSL / Robertson.

Quando a competição recomeçar com o quinto round, a primeira bateria do dia será entre os brasileiros Filipe Toledo e Ítalo Ferreira.

Uma nova chamada acontece nesta terça-feira (25/08) às 14:30 (horário de Brasília). Para acompanhar ao vivo, clique aqui.

Quartas de Final do Billabong Pro Tahiti 2015

1: Owen Wright (AUS)
2: Gabriel Medina (BRA)
3: Josh Kerr (AUS)
4: Kelly Slater (USA)

Quinta Fase

1: Filipe Toledo (BRA) vs. Italo Ferreira (BRA)
2: Bruno Santos (BRA) vs. Kai Otton (AUS)
3: Aritz Aranburu (ESP) vs. C.J. Hobgood (USA)
4: Jeremy Flores (FRA) vs. Wiggolly Dantas (BRA)

Quarta Fase

1: Owen Wright (AUS) 14.84, Filipe Toledo (BRA) 13.06, Kai Otton (AUS) 12.70
2: Gabriel Medina (HAW) 17.64, Italo Ferreira (BRA) 17.10, Bruno Santos (BRA) 6.84
3: Josh Kerr (AUS) 13.20, Aritz Aranburu (ESP) 11.43, Wiggolly Dantas (BRA) 6.40
4: Kelly Slater (USA) 16.60, Jeremy Flores (FRA) 14.66, C.J. Hobgood (USA) 8.30

Terceira Fase

1: Filipe Toledo (BRA) 16.97 def. Brett Simpson (USA) 12.50
2: Kai Otton (AUS) 13.13 def. Bede Durbidge (AUS) 12.00
3: Owen Wright (AUS) 18.23 def. Dusty Payne (HAW) 15.70
4: Italo Ferreira (BRA) 16.10 def. Jadson Andre (BRA) 9.83
5: Gabriel Medina (HAW) 19.00 def. John John Florence (HAW) 18.84
6: Bruno Santos (BRA) 16.20 def. Adriano de Souza (BRA) 13.70
7: Aritz Aranburu (ESP) 15.17 def. Mick Fanning (AUS) 6.67
8: Wiggolly Dantas (BRA) 16.83 def. Matt Wilkinson (AUS) 8.66
9: Josh Kerr (AUS) 15.80 def. Adrian Buchan (AUS) 13.67
10: Kelly Slater (USA) 14.06 def. Sebastian Zietz (HAW) 13.33
11: Jeremy Flores (FRA) 18.87 def. Joel Parkinson (AUS) 14.60
12: C.J. Hobgood (USA) 13.60 def. Julian Wilson (AUS) 9.50