• Billabong Pro Tahiti 2015 começa em Teahupoo

O australiano Mick Fanning encontra sintonia com as ondas de Teahupoo. Foto: WSL / Cestari.


Highlights do Primeiro Round do Billabong Pro Tahiti 2015:


Os melhores surfistas do mundo foram pra água e deram início ao Billabong Pro Tahiti 2015, válido como sétima etapa do Circuito Mundial de Surf, o Samsung Galaxy World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). As oito primeiras baterias do primeiro round foram realizadas em condições desafiadoras em Teahupoo e na sequência o restante da rodada inicial foi cancelado devido às ondas inconsistentes.O líder do ranking Adriano de Souza, que vem de uma quinta colocação em J-Bay foi derrotado pelo perigoso wildcard Bruno Santos, vencedor do evento em 2008, que tomou a liderança de Mineirinho nos instantes finais com uma nota 5.17. O local Michel Bourez também não se deu bem e disputará a repescagem.

"Eu estava muito empolgado com a bateria, porque o Adriano é o número um do ranking e o Michel é um local que sabe muito sobre esta onda", disse Bruno Santos. "As condições estavam bem difíceis. Tem algumas ondas muito boas quebrando, mas está difícil de se posicionar no lugar certo e na hora certa. Tive sorte de conseguir pegar uma boa. Estou muito feliz por estar aqui novamente, já que a última vez que estive no evento principal foi em 2009".

Líder do ranking, Adriano de Souza disputará a repescagem. Foto: WSL / Cestari.Todos os olhos estiveram voltados para o tricampeão mundial Mick Fanning (AUS), que competiu na quinta bateria do dia e fez sua primeira aparição em uma competição desde o ataque de tubarão em J-Bay, na África do Sul. Vencedor do Billabong Pro Tahiti em 2012, ele não desapontou e com notas 5.50 e 6.67 deixou seus oponentes Adam Melling (AUS) e Taumata Puhetini (TAH) em combinação durante a maior parte do duelo, para avançar direto ao terceiro round.

"Foi ótimo colocar a lycra e focar em surfar novamente", desabafou Mick Fanning. "Tem havido muita 'hype' em cima do incidente de J-Bay e muita atenção por parte da mídia, mas só quero seguir em frente. Aconteceu e vai ser uma daquelas histórias pra contar quando eu ficar velho. A bateria foi dura hoje e não tive muitas oportunidades, tive sorte de pegar notas na casa do 5 e 6. Eu me sinto muito confiante, mas há muitas coisas que contam para um título mundial. Você tem que estar sintonizado em todos os momentos certos, tem que focar em você mesmo e fazer a coisa certa, na hora certa".

Mais cedo, na primeira bateria do dia, o 11 vezes campeão mundial e 4 vezes vencedor do Billabong Pro Tahiti, Kelly Slater (EUA), enfrentou Jadson André (BRA) e Brett Simpson (EUA). Ele foi o primeiro a conseguir uma pontuação expressiva e faturou um 7,83 para abrir vantagem mais cedo. Slater chegou ao Tahiti 12 horas antes de seu confronto, mas parecia confiante no lineup, apesar de uma vaca pesada que tomou durante a bateria. Com mais uma nota 7.27, ele deixou seus dois oponentes em combinação e avançou direto ao terceiro round.

Kelly Slater chega em cima da hora e leva a melhor na bateria de estreia. Foto: WSL / Cestari.

"Eu dormi muito no avião, então cheguei instigado e já fiquei preparando todas as minhas pranchas até tarde", revelou Kelly Slater. "Já saí direto quando amanheceu e surfei por cerca de uma hora e meia antes da minha bateria, para me familiarizar com o ritmo das séries no line up. Aquela onda fechou nas minhas costas e bati com meu rosto na água, achei que tinha perdido um dente. Fiquei supreso por não ter batido no fundo".

Terceiro colocado no ranking mundial, Julian Wilson (AUS) enfrentou Sebastian Zietz (HAW) e Garret Parkes (AUS) na quarta bateria do dia. Wilson, que já fez três finais neste ano, dominou o confronto, principalmente depois de uma onda nota 8.33.

"O vento realmente soprou mais de Sul na minha bateria e não tive muitas oportunidades lá fora", explicou Julian Wilson. "Quando as séries vêm elas estão boas, mas não há muitas delas. Quero chegar junto e me concentro a cada evento para buscar boas performances, principalmente quando tenho a chance de surfar contra os melhores caras".

Apesar de não avançar direto, Jadson André demonstra atitude nos tubos de Teahupoo. Foto: WSL / Cestari.

O substituto e ex-competidor do CT Aritz Aranburu (ESP) foi outro wildcard que causou estragos em sua bateria. Ele competiu contra o quarto colocado do ranking, Filipe Toledo (BRA), e contra o estreante Keanu Asing (HAW). Com uma nota 8.17, Aritz garantiu sua passagem direto ao terceiro round.

"Eu achei que a melhor coisa a se fazer era esperar pelas melhores ondas", explicou Aritz Aranburu. "Algumas não estavam ocas o suficiente, então esperei por aquelas que me permitiam ir mais fundo nos tubos. Estou muito feliz em participar deste evento. Lamento que alguém teve que se machucar para eu estar aqui, mas agora que tenho uma chance darei o melhor de mim".

Owen Wright (AUS), Dusty Payne (HAW) e Joel Parkinson (AUS) também venceram suas baterias e avançaram direto ao terceiro round. Quando a competição recomeçar, na primeira bateria teremos Josh Kerr (AUS), Matt Wilkinson (AUS) e Kolohe Andino (EUA).

Uma nova chamada acontece neste domingo (16/08) às 14:30 (horário de Brasília). Para acompanhar ao vivo, clique aqui.

Primeira fase do Billabong Pro Tahiti 2015

1: Kelly Slater (USA) 15.10, Jadson Andre (BRA) 8.23, Brett Simpson (USA) 4.70
2: Owen Wright (AUS) 11.67, Adrian Buchan (AUS) 11.50, C.J. Hobgood (USA) 9.67
3: Aritz Aranburu (ESP) 13.10, Keanu Asing (HAW) 7.16, Filipe Toledo (BRA) 5.37
4: Julian Wilson (AUS) 10.66, Sebastian Zietz (HAW) 9.00, Garrett Parkes (AUS) 1.30
5: Mick Fanning (AUS) 12.17, Adam Melling (AUS) 6.26, Taumata Puhetini (PYF) 1.33
6: Bruno Santos (BRA) 8.67, Adriano de Souza (BRA) 5.30, Michel Bourez (PYF) 2.44
7: Dusty Payne (HAW) 10.00, Nat Young (USA) 5.14, Kai Otton (AUS) 1.30
8: Joel Parkinson (AUS) 10.83, Taj Burrow (AUS) 4.77, Glenn Hall (IRL) 2.96
9: Josh Kerr (AUS), Matt Wilkinson (AUS), Kolohe Andino (USA)
10: Italo Ferreira (BRA), Gabriel Medina (BRA), Ricardo Christie (NZL)
11: Bede Durbidge (AUS), John John Florence (HAW), Fredrick Patacchia (HAW)
12: Jeremy Flores (FRA), Wiggolly Dantas (BRA), Miguel Pupo (BRA)