• Adriano de Souza é campeão mundial no Billabong Pipe Masters

Gabriel Medina e Adriano de Souza erguem a bandeira brasileira no pódio. Foto: WSL / Kirstin.

Depois de um dia recheado de fortes emoções, o brasileiro Adriano de Souza conquistou o tão sonhado título mundial de surfe da temporada 2015, no Billabong Pipe Masters em Memória de Andy Irons, além de se tornar o primeiro vencedor brasileiro da história da etapa em Pipeline, North Shore de Oahu, Hawaii.

Após 10 anos competindo na elite do CT e preparando o terreno para o surgimento da "Brazilian Storm", finalmente o título de Mineirinho veio em uma verdadeira onda de emoções e ele dedicou a vitória ao eterno Ricardo dos Santos, falecido no início deste ano.

Melhores momentos das finais:


"É uma sensação incrível e muito especial. Dedico este título ao meu grande amigo Ricardo dos Santos", disse Adriano de Souza. "Fiz esta tatuagem em homenagem a ele. Ele tinha a mesma tatuagem, que dizia força, equilíbrio e amor, e isto era tudo que eu precisava para vencer este título mundial. Isto tudo também é dedicado ao meu irmão, que comprou minha primeira prancha por R$ 30 e agora estou no topo do mundo. É um sonho ser campeão também do Pipe Masters, como Jamie O'Brien, Kelly Slater e Bede Durbidge, são muitos nomes que se passam na minha cabeça neste momento. Não há palavras para descrever como estou me sentindo agora".

Adriano de Souza é carregado pela galera nas areias de Pipe. Foto: WSL / Kirstin.

O dia das finais começou com três competidores na briga pelo título mundial: Mick Fanning (AUS), Adriano de Souza e Gabriel Medina. Nas quartas de final, Fanning derrotou o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater, acabando com as chances de título de Medina, que mais pra frente, com um aéreo gigante na semifinal eliminou o australiano da competição, fato que deu o título mundial a Mineirinho antes mesmo da final.

"No meio do ano eu achava que o Mick Fanning estava merecendo o título mundial mais do que eu", revelou Adriano de Souza. "Ele é um homem tão forte e três vezes campeão mundial, lutar contra ele pelo meu primeiro título foi assustador. Eu só queria desejar os meus melhores votos para Mick e sua mãe. É uma mistura de emoções, mas o grande dia da minha vida chegou".

Fanning chegou em Pipeline embalado pela sua primeira vitória em um evento havaiano, logo após vencer em Sunset, além de ser o líder do ranking, mas depois de ser eliminado por Medina, suas possibilidades de título ficaram na mão do seu parceiro de equipe Mason Ho contra Mineirinho.

"A energia tem sido incrível por aqui ao caminhar na praia", disse Mick Fanning. "Eu quase choro todas às vezes que remo ao outside. Um amigo me disse uma vez que que podemos fazer qualquer coisa, você só tem que fazer o melhor que puder e manter-se fiel a você mesmo, que as coisas acontecerão".

Adriano de Souza ergue a tão sonhada taça de campeão mundial. Foto: WSL / Kirstin.

Vice-campeão do Billabong Pipe Masters pelo segundo ano consecutivo e primeiro brasileiro da história a vencer a Tríplice Coroa Havaiana, Gabriel Medina alcançou um retorno fenomenal depois de um início de temporada lento em 2015, terminando o ano na terceira colocação do ranking.

"Eu estou amarradão por ser o primeiro brasileiro a vencer a Tríplice Coroa, pois na verdade este era o meu objetivo quando vim ao Hawaii", revelou Gabriel Medina. "Este ano foi difícil para mim, principalmente quando fui mal nos quatro primeiros eventos e todos disseram que eu não tinha chances de disputar o título mundial. Sou muito grato por chegar aqui no Hawaii participando da corrida pelo título mundial. Estou muito feliz também por ter feito mais uma final aqui, depois de ter uma bateria muito dura contra Mick Fanning e conseguir a nota que eu precisava no último minuto, eu não poderia pedir nada melhor. Estou muito empolgado de ver o Adriano vencendo seu primeiro título mundial e o Pipe Masters. Eu sei que ele estava sonhando com isto há muito tempo e fez tudo que pôde para que isto se tornasse realidade".

E foi Medina que venceu CJ Hobgood nas quartas de final, em sua última participação no Circuito Mundial da carreira, depois de ter anunciado sua aposentadoria. Campeão mundial em 2001, o floridiano de 36 anos passou 17 anos na elite acumulando uma série de boas recordações.

"Apenas vejo como foi bom passar 17 anos rodeado de pessoas boas, que vejo que são não somente os melhores surfistas do mundo, mas também os melhores seres humanos. Obrigado a todos, amo vocês", disse CJ Hobgood.

Clique aqui para ver o ranking completo

Adriano de Souza passa por dentro em Backdoor. Foto: WSL / Masurel.

Campanha de Adriano de Souza em 2015 no Samsung Galaxy WSL CT

Quiksilver Pro Gold Coast:
Rip Curl Pro Bells Beach:
Drug Aware Margaret River Pro: Vencedor
Oi Rio Pro: 13º
Fiji Pro: 13º
J-Bay Open:
Billabong Pro Tahiti: 13º
Hurley Pro at Trestles:
Quiksilver Pro France:
Moche Rip Curl Pro Portugal: 13º
Billabong Pipe Masters: Vencedor

Gabriel Medina descola aéreo salvador nos instantes finais. Foto: WSL / Masurel.

Billabong Pipe Masters 2015

Final

1 Adriano De Souza (BRA) 14.07
2 Gabriel Medina (BRA) 8.50

Semifinais

1 Gabriel Medina (BRA) 11.33 def. Mick Fanning (AUS) 10.86
2 Adriano de Souza (BRA) 6.83 def. Mason Ho (HAW) 3.83

Quartas de final

1: Gabriel Medina (BRA) 11.67 def. C.J. Hobgood (USA) 4.67
2: Mick Fanning (AUS) 9.50 def. Kelly Slater (USA) 6.17
3: Mason Ho (HAW) 8.03 def. Adam Melling (AUS) 4.53
4: Adriano de Souza (BRA) 5.50 def. Josh Kerr (AUS) 4.43

Round 5

1 C.J. Hobgood (USA) 13.34 def. John John Florence (HAW) 9.76
2 Kelly Slater (USA) 17.07 def. Keanu Asing (HAW) 9.77
3 Adam Melling (AUS) 5.17 def. Joel Parkinson (AUS) 4.20
4 Josh Kerr (AUS) 13.83 def. Jeremy Flores (FRA) 7.73

Mick Fanning é vice campeão mundial. Foto: WSL / Masurel.